Posted by : Zyky Dec 1, 2012

Reunião de Família



Nos dias seguintes ao acidente, tudo parecia voltar para aquilo que poderia se chamar de normal. Richard acordou emburrado, ouvindo um grande barulho do lado de fora, tentado se levantar, ainda com dificuldades, tendo o corpo ainda cheio de ataduras e curativos. Ele acaba derrubando Lele da cama, esquecendo-se de que ele dormia ao seu lado, que cai e acorda assustado.

- O que foi? Eu não sei de nada, não foi culpa minha! – falou sonolento.

- Calma Lele, esqueci que você estava aqui.

- Ah, foi você? Tente me acordar mais delicadamente, eu agradeço...

- Tá, mas que raio de barulho é esse do lado de fora?

- Hum... Pelo o que eu consigo entender daqui, é o Nick e a moça que eu não sei o nome. – dizia erguendo suas grandes orelhas.

- Ellie, o nome dela é Ellie, eu já te disse!

- Eu sei, mas quem disse que eu já gravei? Não é só porque eu falo que gravo tudo tão rápido quanto vocês...

- Tudo bem, tudo bem... – terminou levantando-se devagar.

- E onde você pensa que vai? Esqueceu que tem que repousar?

- Agora que já fizeram o favor de me acordar vou ver o que esses dois tanto fazem!

Ele se aproxima da janela e vê uma grande bagunça nos fundos da casa, perto do galpão. Nick brincava com Fabí e Togetic, correndo atrás dos dois, hora ou outra sendo atrapalhado por Flygon, que ria ao lado de Flay, e um pouco distante, sentada no galho de uma árvore, estava Ellie, rindo e se divertindo com as palhaçadas do menino, que em tudo achava motivo para graça. O garoto riu em ver a cena pouco comum, atraindo a atenção de Flygon.

- Fraaaai! – grunhia feliz.

- Parece que você também melhorou.

- Bom dia, senhor dorminhoco. – ria ela.

- Dorminhoco por quê? Foram vocês que me acordaram!

- Pare de reclamar, você ficou deitado ontem o dia inteiro!

- Sofri um atentado, não tenho meus direitos de descanso?

Ela deu um grande sorriso e se voltou para Nick, que fugia o mais rápido possível de Flay, rindo porque jogara água nele, algo que o Pokémon odiava desde pequeno.

Cansado de ficar ali, Richard se arruma e desce com cuidado, sendo seguido por Lele.

- Bom dia garoto, se sente melhor? – perguntava Booker enquanto trabalhava.

- Dormi bem, eu acho, se for contar essa bagunça nos fundos...

- Haha, por que não vai lá um pouco? Assim você se distrai, vai te fazer bem.

- Já estou indo, já estou indo...

Ele se arrasta preguiçosamente até o lado de fora, e percebe que quase nada mudou desde que viu a cena pela última vez. Aproximou-se da árvore que havia ali, olhando para cima e vendo Ellie, que apenas sorriu e voltou seu olhar para a confusão. O garoto então percebe a altura da árvore, principalmente a altura do galho onde ela estava sentada, não vendo nenhuma escada por perto.

- Mas como é que você conseguiu subir aí em cima? – indagou confuso.

- Tio, você não sabe como ela é rápida, conseguiu subir lá sozinha! – dizia Nick aproximando-se – Ela é mais ágil que um Pokémon!

- Que isso Nick, você está exagerando. – disse ela

- Exagerando nada! Eu vi, com meus próprios olhos, você subindo aí rapidinho.

- Tudo bem Nick, eu entendi, acredito em você... – interrompia o garoto.

- Tá vendo, o tio Rick concorda comigo. – falava fazendo graça para a garota, que ria cada vez mais.

- Até quando você vai continuar me chamando de tio?

- Eu se lá, aprendi assim.

Num rápido movimento, Ellie pulou do galho onde estava sentada, pousando firme, porém delicadamente no chão, assustando os dois.

- Vocês se conhecem há quanto tempo? – perguntou levantando-se.

- Mas de onde você surgiu criatura? – perguntava Richard surpreso.

- Tá vendo, eu disse, não disse? Acho que ela é um Pokémon disfarçado! – dizia Nick.

- Faça-me o favor, Nick, olha a besteira que você está falando, não tem como ela ser um Pokémon!

- Será mesmo? Como você tem tanta certeza? – provocou a garota aproximando-se.

- É q-que... ah, você é uma garota, dá pra ver isso claramente! – retrucou sem jeito, não percebendo que ela corou com o comentário.

- ... Então você é mesmo um Pokémon? – perguntou Nick, fazendo-a rir.

- Nick!!! – gritou o garoto vendo que o mesmo correu rapidamente para perto de Flygon, que também ria da situação.

- Esse menino é uma graça, deve ser como um irmãozinho!

- Ele é uma peste, consegue ser pior que um Aipom entediado, ainda mais quando quer...

- Ahan, sei... Mas você ainda não respondeu minha pergunta.

- Qual?

- A de como você conheceu Booker, o Nick...

- Ih, é uma longa história, mas...

- Tio Riiick, posso brincar com o Quilava e a Dragonair um pouquinho? – interrompeu o menino.

- É uma boa idéia – disse Booker aproximando-se – aproveite e libere todos os seus Pokémon para respirarem um ar fresco.

- Mas você gosta de aparecer do nada, não é velho? – retrucou Richard, um pouco surpreso e logo virando-se – Flay, tem como pegá-los para mim?

- Flaare! – sorriu o Pokémon, entrando rapidamente na casa e segundos depois trazendo a mochila de seu mestre.

- O que você vai fazer? – perguntou ela curiosa.

- Ele tem razão, eles estão presos há muito tempo – disse pegando várias pokéball's – então hora de sair um pouco.

Com isso, ele as jogou para cima, liberando um a um de seus Pokémon, sendo a maioria muito fortes para um garoto da idade dele. Uma fila foi feita, todos os Pokémon estavam em posições, como se tivessem esperando ordens, mas toda a seriedade foi quebrada com os pulos alegres de Nick, que acariciava todos. Ellie admirava cada um, sendo seguida por Fabí, que nunca vira Pokémon do tipo.

- São todos seus? – perguntou ela abismada.

- São, mas ainda falta um, o Charmeleon... – disse triste, mas logo voltando ao normal vendo o olhar preocupado da garota – Quer conhecê-los? Eles são educados, prometo que não mordem.

O primeiro era um Pokémon conhecido pela maioria, sendo um dos mais antigos da equipe, uma serpente azul e branca: Dragonair. Ela grunhiu e se esfregou no garoto, que nada fez para impedir. Ao lado da Pokémon estava um pequeno cão laranja com detalhes da pelagem em preto e amarelo, sendo o menor da equipe, mas não o mais fraco, o corajoso Growlithe.

- Estes dois são Dragonair e Growlithe, ela é meu Pokémon mais antigo, com exceção de Flay... foi o primeiro Pokémon que capturei.

- Tio, eu não me lembro desse aqui. – falou o menino pegando o Pokémon cão no colo e o afagando.

- Na verdade, Growlithe’s não são encontrados nessa região, o achei por pura sorte, acho que alguém o largou por aí...

- Ah, que lindo, ele tem um coração sensível... – brincou Ellie, deixando-o vermelho e sem graça.

- An, vamos continuar... Esse aqui você já conhece, é o preguiçoso do Quilava. – disse apontando para o Pokémon azul, que dormia banhado pelo sol – Nunca vi Pokémon mais folgado que ele!

- Não devia falar isso desse fofucho. – disse ela o fazendo carinho – Se foi por causa do que aconteceu na sua casa, ele a protegeu bem, mas Flay me deixou entrar e acho que é ele que manda quando você não está.

- Em partes sim, mas deixa isso para lá, não gosto muito de me lembrar daquela ocasião... – disfarçou sem graça.

Continuando a fila, vinham os três maiores Pokémon do qual Richard possuía, sendo observados tanto por Ellie como por Nick, que nunca tinham visto Pokémon tão grandes e poderosos. O primeiro era uma Pokémon raposa grande, de pelagem bege, uma crina e nove longas caudas com uma mancha marrom na ponta de cada uma, ostentando uma feição séria, porém doce e amigável, a bela Ninetales, sendo seguida por outra fêmea, com um porte de cavalo, alta, aparentava ser frágil, mas era a mais ágil, com pelagem clara e um chifre no alto de sua cabeça, sua crina, rabo e na ponta de suas patas queimava uma chama laranja intenso, que não a machucava, mas ressaltava sua majestade e deixava claro seu ar de superioridade, Rapidash. 

Art by: Jermini

Art by: HisuiVirus

O último Pokémon era um dragão emburrado, que encarava a todos; tinha uma pele grossa azul e uma armadura prata em seu peitoral, grandes garras e dentes, duas grandes asas vermelhas e uma faixa da mesma cor, que se estendia do pescoço a ponta de sua cauda e algo que parecia seis antenas pontudas saindo se sua cabeça, o ranzinza e tenebroso Salamence. Ele media cada um de cima a abaixo, causando receio em todos, inclusive em Richard.

Art by: mark331

- Estas são Ninetales e Rapidash, que já estão comigo há um tempo também, e o mal encarado ali é o Salamence, mas é bom não mexer com ele.

- Eu me atrevo a perguntar o por quê? – disse ela receosa.

- Ele não gosta muito de mim, acho que porque foi trocado pelo seu dono original, que já reclamava de sua mal criação quando ainda era um Shielgon... Evoluiu e não mudou nada, por isso evito usá-lo, ele quase me fez churrasquinho uma vez!

- Você e seus dons com os Pokémon... Mas como você tem alguns Pokémon que não são daqui? Pelo que eu sei você nunca saiu da região, e não é normal alguém daqui achar uma Dragonair por aí.

- Digamos que já fui um ótimo negociador... – esnobava-se – O único que não consegui ainda é alguém da linha evolutiva do Gible, mas eles são difíceis de encontrar, e muito procurados também.

Ela fez um sinal de reprovação, olhando em seguida para Lele, que conversava com seus novos amigos e vendo o grande Salamence ir deitar-se na sombra de uma árvore. Sua Pichu subiu em seu ombro e a cutucou, a olhando animada, mas ela ostentava um olhar indeciso, de dúvida, que logo foi percebido pelo pequeno Nick.

- Tia Ellie, você tem algum Pokémon além da Pichu?

- Tenho sim, mas...

- Deixa eu ver, por favor... – implorava ele

- Você nunca me disse que tinha mais Pokémon. – retrucou o garoto.

- Você nunca perguntou... – ironizou, olhando em seguida para Fabí – Hora de apresentar o resto da família.

As duas começaram a escalar a árvore e chegaram a janela numa agilidade e velocidade surpreendentes, deixado até alguns dos Pokémon surpresos pelo ato da garota, que logo voltou com sua bolsa, mostrando algumas pokéball’s dentro dela.

- Pessoal, hora de conhecer meus novos amigos! – falou lançando as pokéball’s do alto da árvore, sentada em um forte galho.

Com isso, seis Pokémon novos apareceram nos raios vermelhos liberados pelas esferas, sendo sua maioria elétricos, confirmando sua paixão pelo tipo. Um já era conhecido pelo garoto, o engraçado Togetic, que voava alegre em direção a sua dona, grunhindo feliz. No chão, um grande Pokémon azul com detalhes amarelo e azul claro se ergueu, seu olhar era intimidador, mas logo mostrou ser muito carinhoso, lambendo o rosto de Nick. Sua aparência era a de um leão, com uma frondosa juba azul escura, pelagem que cobria quase todo seu corpo, tinha uma estrela amarela na ponta de sua cauda e olhos vermelhos, um grande e forte Luxray. 

Art by: Eeriah

Em suas costas estava enrolado um Pokémon branco com uma faixa azul que percorria todo seu corpo, com a aparência de um esquilo, bochechas amarelas e uma grande e fofa calda, que acordou com as vozes e sorriu ao ver pessoas novas; esse era o mimado Pachirisu, que logo correu e subiu na árvore onde Ellie estava. 

Art by: Kushi-Mi-Mi32

Ao lado de Luxray havia uma Pokémon baixa, parecida com uma ovelha, só que bípede, com a pele rosa e a pouca lã que cobria seu pescoço e alto da cabeça branca, tinha duas antenas pretas com uma listra amarela, mas o que mais lhe chamava a atenção era o orbe azul que vinha na ponta de sua cauda, que reluzia com o brilho do sol: uma adorável Flaaffy. 

Art by: meriimerodii

Após todos havia um curioso Pokémon, que mais parecia ser de água do que de terra por conter barbatanas, tendo o corpo azul e o rosto amarelo, uma comprida antena que se dividia em dois pequenos orbes amarelas, que piscavam freneticamente, uma curiosa Lanturn.

Art by: TeaZS

- Rick, Nick, quero que conheçam meus amigos: estes são Togetic, Luxray, Pachirisu, Flaffy, Lanturn e Pidgeotto... A Fabí vocês já conhecem.

- Pera aí, Pidgeotto? Onde ele está? – perguntou o garoto confuso.

- Ah, me esqueci, ele não gosta muito de estranhos. – terminou descendo da árvore em um pulo – Querido, cadê você?

Luxray abriu caminho para a garota, mostrando um Pokémon pássaro de médio porte, com penas marrom claras nas costas e asas, bege na barriga, grandes garras, uma cauda com penas vermelhas e beges e um longo topete vermelho que se destacava, mostrando sua singela beleza. Ele estava no chão, contraindo suas asas e com a cabeça baixa, tentando se esconder. 

Art by: Rikkoshaye

Ellie aproximou e agachou-se na altura do Pidgeotto, fazendo-lhe carinho. O mesmo aceitou de bom grado, sentindo-se mais a vontade, mas ainda receoso com a quantidade de pessoas e Pokémon desconhecidos que havia ali.

- Nada não, mas não era pra ele estar voando ou no mínimo ter ido até o alto da árvore? – perguntou Richard curioso.

- É que, bem, é aí que está o problema... Ele não sabe voar. – dizia acanhada, olhando para o Pokémon.

- Como é que é, eu ouvi direito? Como um Pokémon voador não sabe voar? – ria caçoando, mas logo parando ao ver o olhar de fúria dela.

- Não fale assim dele, não vou permitir isso! – bravejou, olhando em seguida para os olhos tristes do Pokémon – É por isso que ele não gosta de estranhos, sempre debocham dele, mas não é que não voa porque não quer, foi por causa de um trauma que teve quando ainda era um filhote, que foi quando eu o encontrei.

- Ok, não falo mais nada...

- Mas Tia, o que é essa pokéball na sua mão? – perguntou o menino.

- Essa? Er... – hesitou – esse é outro Pokémon...

- Posso ver?

- Não acho uma boa ideia.

- Por favor... – implorava.

- É, que problema teria? – disse o garoto.

- Ah, por favor, por favor, por favor!

- Então tá, se vocês insistem... – falou jogando a pokéball.

Em meio ao raio vermelho, surgiu um Pokémon no qual Richard já tinha conhecimento, pois era da mesma família evolutiva de seu Flay. Tinha um olhar ameaçador, tão assustador quando o do Salamence, sendo do tamanho de Flareon, só que com pelagem espetada amarela e uma sutil gola branca, o bravo Jolteon. Ele observou a cada um, pessoas e Pokémon, até Booker, que observava tudo de longe, até parar seu olhar em Ellie, rosnando. Ela deu uns passos para trás, com certo medo, mas tentou manter o controle da situação.

Art by: RashanaMoonfire

- O-olá Jolteon... eu sei que você não gosta de ser perturbado, mas todos aqui queriam te conhecer, olha quantos amigos novos você tem agora, isso não é legal?

Ele continuou a rosnar, sendo possível ver que uma corrente elétrica corria na ponta de seu pelo, aparecendo pequenos raios em sua pelagem eriçada. Depois de encará-la por um longo tempo, bufou e foi em direção a um arbusto distante, deitando-se e observando tudo e longe. Ellie abaixou a cabeça e a balançou negativamente, tendo o olhar triste. Richard colocou sua mão sobre seu ombro, a qual se virou surpresa.

- O que aconteceu para ele ser tão ranzinza assim com você?

- Eu... não sei. Ele é assim desde que eu o ganhei, nunca gostou muito de mim... na verdade de ninguém. Só queria saber o por quê.

- Eu posso tentar descobrir. – se ofereceu Lele.

- Não, ainda não! Se acontecer alguma coisa com você, não quero ficar me culpando depois, deixe ele se familiarizar com todos, estivemos sozinhos por muito tempo.

- Sozinhos por quê? – perguntou o menino curioso.

- É difícil de explicar... Vamos deixar os Pokémon um pouco sozinhos, para se conhecerem melhor, assim aproveitamos para dar o café da manhã do Rick, o que você acha? – perguntou para Nick.

- Eba, vamos! – disse correndo para dentro da casa, sendo seguido pelo resto.

*****

O dia passou e a tarde chegou rápida; todos os Pokémon estavam para fora de suas pokéball’s, brincando ou conversando, com exceção de Salamence e Jolteon. Ellie observava a eles e ao lindo pôr do sol que se iniciava, sentada num tronco de árvore no jardim que havia nos fundos da casa. Richard a avistou e começou a aproximar-se devagar, observando-a atentamente.

- Sabia que eu amo o sol? – disse ela, surpreendendo o garoto. – Eu sei que você está aí, não adianta se esconder.

- Mas como você sabia? – perguntou sentando-se ao seu lado.

- Não sei, acho que sinto a presença das pessoas e dos Pokémon, é muito estranho... – dizia fechando os olhos e sentindo o morno calor dos raios de sol daquela hora.

- Admito que é um pouco estranho mesmo. – falou vendo Jolteon bem longe, dormindo – Posso perguntar uma coisa?

- Depende se vou conseguir responder.

- Você fugiu de casa?

Ela parou de admirar a paisagem e olhou para o garoto, deixando-o encantado com a beleza que vira: olhando-a nos olhos foi possível ver o reflexo do pôr do sol refletindo em suas íris brancas, dando tons incríveis, seus longos e lisos cabelos, que estavam a balançar com a leve brisa, brilhavam em cores inexplicáveis, juntando o mel original com o alaranjado dos raios de sol. Percebendo o admirar dele, ela desviou o olhar, um pouco sem graça, abaixando a cabeça com a feição triste, tirando o garoto do transe em que estava.

- Agora ficou muito na cara, né?

- Mas por quê? – disfarçou – Você queria ser treinadora e seus pais não deixaram? Porque seus Pokémon são muito bons.

- Não, não é por isso, não gosto muito de batalhas, só luto quando é necessário, é por outros motivos, muitos outros...

- Quais?

- Eu não gosto de falar sobre isso, já passei por mais coisas do que você pode imaginar, e tem algumas coisas que ficam melhor esquecidas no passado... Ficar trazendo minha vida à tona não é uma boa coisa.

- Você não quer me contar porque não confia em mim?

- Não é questão de confiança... É só que é muito pessoal, ainda não posso falar.

- E quando vai poder?

- Quando eu te contar, oras! – brincou – Na hora certa você vai saber...

Mesmo com o olhar triste, ela deitou-se na grama e continuou a observar o céu. Richard continuou a observá-la, misturando curiosidade com chateação, “Ela sabe muito de mim, e eu não sei nada dela, injustiça!” pensou, mas logo em seguida dando um breve riso e sentando-se ao seu lado e observando o céu também. Por um momento ele ficou encantado com o que viu: de onde estavam era possível ver o sol, que estava imponente, grande e laranja, tocar a linha do horizonte e refletir nas águas calmas do mar. As nuvens refletiam a cor do sol, seguido do céu, que estava alaranjado perto dele e fazendo um degradê, passando pelo avermelhado, azul claro e bem no fim azul escuro, anunciado o fim do dia.

Imagens - Por do sol

- Nossa, é... lindo. – dizia encantado.

- Eu adoro ver o pôr do sol e o amanhecer, mas principalmente o pôr do sol. Gosto de receber os raios de sol, receber seu calor, sua energia, sua beleza... E também acho muito romântico.

- R-romântico? – falou sem graça.

- Deixa pra lá, vocês garotos não entendem disso....





Capítulo 6 | Capítulo 7

{ 7 comments... read them below or Comment }

  1. AMO ESPECIAIS!! São sempre na maioria tão perfeitos e sempre mostram outro lado da história.

    Caraaaa, o time do Rick é PERFEITO! Todos esses Pokemon que ele tem estão dentro dos meus favoritos.
    Os da Ellie também são lindos, fofura pura esse time. E esse Pidgeotto que não sabe voar? Awww ;c
    E o Jolteon dela todo mal encarado? Mais do que o Salamence do Rick. Tenso e.e

    O Nick chamando a Ellie de tia agora, ai cara kkkkk

    Esse final romântico, hmmmmmmmmmmmmmm, pôr do sol são tão lindos.

    ReplyDelete
  2. Haha! Minhas suspeitas estão se confirmando, Ellie e Richard se amam!!!!!!! Bom, vamos falar do especial agora:

    Achei muito bem escrito e bastante descritivo, acho que ele serviu apenas mesmo para mostrar um pouco de felicidade e alegria mesmo... Outra coisa que eu tb amo é o por-do-sol, é uma coisa tão linda e maravilhosa! Ahhh, e só uma correção, é SalamenCe e não SalamenSe

    ReplyDelete
  3. Caramba! A história mal começou e você já está trabalhando com especiais? Você não perde tempo mesmo! Foi um ótimo capítulo. Aqui pudemos conhecer mais um pouco sobre o Richard e a Ellie (dela um pouco...), além de sermos apresentados às equipes deles, que possuem ótimos Pokémons, diga-se de passagem.

    Bem, vamos ver como vai ser daqui pra frente. Eles parecem estar se entendendo bem melhor, para não dizer outra coisa... Hehehe, não vou adiantar nada! Eles que se declarem!

    Bem Zyky, com o tempo vou tirando meu atraso, já que você postou outro capítulo. Minha vida tá meio enrolada, mas prometo que em breve deixo tudo em dia! Até mais!

    ReplyDelete
  4. Lindoooooo...!
    Adorei o especial é lindo! para não dizer outra coisa!
    A Ellie tem um lindo Jolteon! Um pouco para bravo não! Mas sei de aqui um tempo eles se vão da bem :)

    O Por do sol é lindo mesmo! Quem lê isso concorda com o que ela disse! Bastante romântico! :)

    ReplyDelete
  5. Qm não ama um especial, Jac? Eles são tão... especiais! *U* Pokémon tipo fogo são perfeitos, ok? u.u ~brinks Jolteon é um caso a parte, ainda tem mto o q contar X3 E o Nick chama todo mundo d tio, só não chama o Booker d tio pq chama ele d Mestre (badumtiss) auehauehuahe ~parei

    Fehpig, caracas, mas já? Eu ainda não falei nada! ^^ Meu, não importe quantas vezes eu pesquise e revise, sempre passa algo batido, coisinhas bestas como essas ^^' Mas valeu, corrigi logo q li seu comentário.

    Não podemos perder tempo msm, Shadow! XD Mas se eu te contar q a ideia deste especial foi do nada vc acredita? É assim, pra sair um especial, a ideia tem q vir do nada. Os Pokémon dos dois são perfeitos, até pq são dos tipos mais perfeitos u.u (causando uma guerra em 3, 2, 1...). Nem vc nem eu vou adiantar nada, vamos ver no q isso vai dar! E nem me fale em atrasos, os meus superam, tenho certeza e.e

    Obrigada CureBeat =3 O Jolteon é meio invocadinho, não? Pq será? Bom, só no decorrer para descobrir XD

    E, pelo q vi, todos concordam com a Ellie: por do sol sempre são lindos e românticos *U*

    ReplyDelete
  6. Especiais sempre prometem ser bons, especialmente quando falam da rotina dos personagens e dos Pokémons! Eu juro, fazia muito tempo que eu não via alguém tratar da personalidade dos bichinhos, e dificilmente vejo alguém que faça isso bem. Tenho sorte que meus parceiros da Aliança arrasam nesse sentido! Eu gostei muito de cada um, acho que para os Pokémons ter perdido um companheiro como o Charmeleon foi como perder um irmão. Cada um se completa nessa família, e eu espero que os próximos especiais venham a mostrar ainda mais essa relação entre os Pokémons. Quem sabe nós até conseguimos despertar uma amizade entre o Flareon e o Jolteon! kkkk Antes eu poderia tratar algumas personalidades em especial que foram melhor trabalhadas, mas vendo tudo agora parece que você melhorou, todas foram muito interessantes! Tenho certeza que daqui para frente eles ainda darão o que falar! Acho que foi uma ótima ideia dar esse tempo na história central e focar nessa parte tão importante. Ahh, e essa conversa final do Richard com a Ellie? Convenhamos, esses homens de hoje em dia não tem nada de romântico, não é, amiga? kkkkk (Isso foi estranho) Pôr do sol sempre será um pôr do sol!!! Se cuida, Zyky, estarei no aguardo de um novo capítulo! :D

    ReplyDelete
  7. Especiais SEMPRE são bons, até agora não vi um que me mostrasse o contrário XD Eu presto atenção na personalidade dos Pokémon antes msm d começar a escrever, pois se quero fazer uma fanfic Pokémon, mas não falo deles, o q estou fazendo? Para mim, eles não são meras máquinas d batalha, poder e etc etc, mas criaturas vivas, como todos os animais q nos rodeiam (a diferença é q eles podem soltar jatos d fogo entre outros, nada d mais... u.u). A perda do Charmeleon realmente foi algo doloroso, e pretendo tratar melhor disso mais para frente, mas será q o Jolteon conseguirá fazer amizade com alguém? -w- Tenho mtos planos para esses monstrinhos, e tenho certeza q gostará.
    Aiai, o por do sol, ele não é lindo? Não? Então sai da frente da janela pra eu ver direto u.u (aeuhaeuhauehaueh parei, chega d brincadeiras sem graça XP)

    ReplyDelete

- Copyright © 2014 Aventuras em Oblivia - Zyky Flareon (Priscilla Zykah) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -