Archive for March 2013

Harlem Shake

A nova onda



Pode admitir, você já ouviu falar essas duas palavras, Harlem Shake, e muito provavelmente estão ligadas a um vídeo totalmente sem noção. O que é essa nova tendência viral? O que ela busca? No que influencia? Bom, nas duas últimas perguntas, eu tenho uma resposta: NADA! XD

Harlem Shake é a nova moda do momento, onde você junta um grupo de amigos, uma câmera e vários acessórios malucos, e grava um vídeo de exatos 30 segundos onde nada precisa fazer sentido. E essa é a graça da coisa. Ela começou a ganhar fama no começo deste ano, onde alguns amigos resolveram se juntar e dançar loucamente na frente de uma câmera ao som da música de mesmo nome, Harlem Shake. Outras pessoas viram, gostaram da ideia, cada um repetiu ao seu modo, e aí virou essa febre. 


Só para se ter ideia do sucesso, o primeiro vídeo foi postado dia 02 de fevereiro, e no dia 10, mais de 4000 vídeos estavam sendo upados para o YouTube diariamente. No dia seguinte, esse número pulou para 12000! E cada vez surgem mais e mais vídeos diferentes, mas com o mesmo objetivo: dançar adoidado sem ter sentido nenhum. X3



E se você acha que todos os vídeos incluem só pessoas malucas, está completamente enganado. Existem vídeos de todos os tipos sobre todos os assuntos, inclusive sobre jogos, e feito dentro deles!


Este eu realmente achei muito legal, um dos meus favoritos. XD


Minha experiência nisso foi bem repentina: um amigo meu, inspirado depois de assistir tantos vídeos sobre o assunto, perguntou para o grupo se nós não gostaríamos de gravar um vídeo do tipo. Eu não tinha ouvido falar sobre isso, então não fazia ideia sobre o que era, mas depois de o ver explicar tão animadamente como funcionava, minha curiosidade foi despertada, e tenho sérios problemas com minha curiosidade. ^^' Acabamos nos empolgando tanto que, no mesmo dia, ou melhor, no dia seguinte, às 03h00 da madruga, resolvemos gravar o tal vídeo, que ficou essa loucura aí:

Detalhe, sou aquela de rosa na ponta do sofá =3

Participantes do vídeo: eu claro, Renato, Rebeca, Nícolas, Joelma, Daniel, Giancarlo.

"Mas por que você disse tudo isso?" Vocês devem estar se perguntando... Bom, queria só trazer algo diferente, para divertir um pouco, e também propor um desafio: você teria coragem de juntar alguns amigos e gravar um vídeo desses? Não é difícil, é só colocar a câmera em um lugar fixo, dar play e se soltar, garanto que vão se divertir muito!

Eu já estou me programando para gravar 2: um na escola onde faço ensino técnico e outro em um dos eventos que normalmente vou, como o Anime Party e o Anime Friends, os próximos da agenda (coisa que imagino que será bem fácil, esse povo adora fazer uma bagunça na frente de uma câmera ^^). Se quiser, como inspiração, assista a alguns vídeos no YouTube, existem algumas compilações de mais de 1 hora!

Infógrafo mostrando a popularização do Harlem Shake.

Já gravou algum com seus amigos? Então coloque o link nos comentários, mostre o que você mais gosta, se solte, cloque para fora aquele lado maluco e sem sentido, divirta-se! \o/

Dica: Vá no site do YouTube, digite "Do The Harlem Shake" no navegador, dê Enter e não clique mais em nada, e veja a tela do seu computador ganhar vida! *O*



Créditos por algumas das informações e vídeos:



PS: Prontinho Nicolas, como eu prometi, um post bem legal para mostrar nosso vídeo. XD

Rivais

Primeira aparição: Capítulo 9

Michael era do mesmo orfanato que Richard, tendo o conhecido lá. Desde a primeira vez que se viram, uma grande rixa se formou, sendo que um odeia o outro desde então. Era alguém extremamente problemático quando criança, sempre arranjando brigas e problemas, sendo que uma delas foi de tom tão sério que ele foi procurado pela polícia, e foi quando fugiu do orfanato e desapareceu por alguns anos. 

Depois de, não se sabe como, viajar por várias regiões, finalmente retorna para Oblivia, encontrando logo seu rival. Tem um ar superior e misterioso, e não se sabe o que fez no passado ou o porquê de ter voltado para a região. Tem uma equipe forte e diversificada, mostrando que, seja lá para o que for, não está de brincadeira.





Créditos das imagens
Art by: MarckPF | Art by: MarckPF

Outros

Apresentador

Primeira aparição: Capítulo 1

Este homem apresenta as etapas da Competição de Batalha Pokémon da Renbow Island, classificando treinadores para o grande Torneio de Batalhas do Rainbow Festival, o maior e mais aguardado evento de Renbow Island. Também é visto fazendo algumas apresentações em Cocona Village e até em Tilt Village, sendo conhecido por seu trabalho e potência vocal.


Marta e Lily Colins

Primeira aparição: Capítulo 8

Marta é dona de uma loja de Roupas e artigos artesanais da região, coisa que atrai muitos dos turistas que visitam a cidade. Tanto ela como sua filha, Lily, conhecem Nick e Ralph, sendo que a menina é amiga deles, sendo frequente os verem brincando.


Arley

Primeira aparição: Capítulo 8

Não se sabe muito de sua vida, a não ser que era um grande lutador em sua cidade natal, mas então, quando sofreu um sério acidente, teve que abandonar os ringues, ganhando a grande cicatriz que tem no rosto. Chegou repentinamente na cidade, mas ganhou a confiança de muitos, mostrando-se prestativo. Costuma contar sua história para as crianças, visitando vez ou outra o orfanato de Cocona Village, onde conheceu Richard e acompanhou uma parte de sua história.


Nixie

Primeira aparição: Capítulo 9

Nixie é a tratadora do bando de Lapra's que frequenta as águas do Lapras Beach. Junto com seu Lapras, Lino, tentam manter o controle dos Pokémon e fazer com que eles fiquem sempre seguros e tranquilos, mas às vezes algumas coisas fogem de seu controle. Nasceu nas redondezas  tendo sempre ficado próxima do mar, fazendo esta tarefa por amor, e não por obrigação.





Créditos das imagens
Art by: zerudez
Demais imagens não têm autoria conhecida.

Notas da Autora - Capítulo 10



Aviso: Spoilers a frente! Se você gosta de uma prévia, pode prosseguir, se é como eu, que odeia esse tipo de coisa, aconselho a ler o capítulo primeiro. ^^'


Yeeeeeeeeeei!! \o/

Haleluia! Não via a hora de finalmente conseguir postar este capítulo. Sei que a demora foi grande, mas valerá a pena, pois o capítulo ficou show (na minha humilde opinião, é claro - e da minha CCOF '-'). Ainda estou com alguns probleminhas com os capítulos seguintes, mas vou tentar arrumar tuco conforme meu tempo. Se adaptar a nova rotina, novas tarefas, e etc. está me sendo um pouco mais complicado do que imaginei. ^^'

A batalha

Ela foi uma das culpadas pela demora do capítulo. Tive que fazer vários ajustes na batalha, primeiro porque notei vários erros meus (sim, e isso me doeu o coração e os olhos x_x) em relação aos movimentos e segundo porque ela não estava ficando de meu agrado. Não vou demorar todo este tempo para postar algo meia boca, o texto tem que, no mínimo, me satisfazer, e finalmente consegui isso. Tentei fazer algo bem diferente do que vemos nos jogos, até porque a região me permite isso. Interações de campo de batalha, combinações de ataques, ah, amo essa inovação que a escrita nos permite. *U*

Novo personagem

Ok, Jacqueline, agora você pode gritar, pular, chorar e abraçar seu computador! 

Para quem não sabe, Jacqueline é minha CCOF (você pode saber mais sobre isso lá no Curiosidades), e Michael é seu personagem favorito, assim como o Ben é o meu. Esse favoritismo não é a toa, tem um motivo muito especial por trás: ela é sua criadora. Pois é, quem diria, né? Um personagem que não foi criado pela autora... Em um belo dia, enquanto escrevia este capítulo, vi a necessidade de colocar um novo personagem, e bem com essa pinta de rival, mas meu estoque de ideias estava totalmente vazio, então, como uma boa aluna escritora, pedi ajuda na escola a alguns amigos meus. Falei como mais ou menos queria o personagem, e as ideias de cada um foram se juntando perfeitamente. Eles criaram a aparência (Glórias por ter conseguido achar uma imagem que se encaixasse nas descrições o/), alguns dos traços da personalidade, o nome e até a equipe. Ah, e sua função na história, que tenho certeza que surpreenderá a todos mais para frente. Desde já quero agradecer à Jacqueline, Carla e Kauan, que me ajudaram a criar o Michael, não sei o que eu faria sem vocês. =3

Falando agora do personagem, acho que alguns poderiam estar se perguntando: E o rival, onde ele aparece? Bom, aí está, com toda a pimpa e glória que merece. XD O Trainer Card está quase pronto, tentarei postá-lo ainda esta semana, assim como atualizar o do Richard (ficou mais velho, né?). Michael resume-se a isso: um cara que conhece Richard desde os tempos do orfanato, que são inimigos desde aquela época e que volta do nada arrebentando tudo, simples assim. ^^ Logo logo poderemos ter outras aparições suas, mas não vão se acostumando, cuidado que a Jacqueline pode ser só um pouquinho cuimenta... u_ú

Um final tão... não, pera...

Há, pegadinha do malandro! Ahaueheuaheuaheuaheuaeh XD

Quem esperou um "algo a mais" neste final? Quem quem quem? Kkkkk É verdade, e admito que cheguei a pensar remotamente em ter deixado esta cena mais... interessante, mas ainda não era a hora, o que tinha que acontecer, aconteceu. Lele dando um de chefe e cuidando de tudo e todos (alguém notou isso? X3) e as crises do Richard e da Ellie. Que belo presente, não? Acho que Ellie se superou desta vez, deu um grande avanço, só não fiquem com ciúmes, garotos, é a vida. u_u "Mas e aquele surto dela de antes? Por que aquele medo?" Bom, isso ela mesma dirá, não daqui muito tempo, e até lá aguardem muitas surpresas.

É, acho que repito muito isso, "aguardem mutas surpresas", mas daqui para frente a história sofrerá uma grande reviravolta, maior do que vocês imaginam. Façam suas apostas, vamos ver quem adivinha os acontecimentos futuros! XD

Até mais, seus lindos! =D

Capítulo 10

Presente ou Castigo?



Os garotos agora se encaravam com raiva e surpresa.

- O que você está fazendo por aqui? – perguntou Richard.

- Não está feliz em me ver novamente? Queria fazer uma surpresa, mas tive um imprevisto. – zombava o outro rindo.

- Dispenso suas surpresas, muito menos sua presença!

Em meio ao clima tenso da discussão, um grande Water Pulse foi lançado na direção do grupo, sendo bloqueado por um Pokémon alto e bípede, com a aparência de um cachorro: seu corpo era azul com partes em preto, tinha pernas fortes e algo que se assemelhava a um colete amarelo sobre seu corpo.

Art by: VashKun4e

- Muito bem Lucario, obrigado. – disse Michael.

- Então quer dizer que seu Riolu evoluiu? Até que enfim.

- Ao contrário de você, eu treino e cuido dos meus Pokémon até que estejam prontos e seguros para evoluir. – ironizou, provocando a ira do outro.

- Rick, quem é ele? – perguntou Ellie confusa.

- É só mais um desgraçado que eu conheci no meio caminho. – disse sério, encarando-o.

- Deixe que eu mesmo me apresente corretamente. – falou aproximando-se da garota. – Meu nome é Michael, mas você pode me chamar de Mike também.

Por um momento ela se pôs a observar aquele belo garoto que a media de cima e baixo: aparentava ser um pouco mais velho, bem forte fisicamente, pois era possível ver os músculos definidos de seus braços e seu tórax, mesmo por baixo da regata, era alto, tinha a pele morena, cabelos negros espertados e olhos castanhos bem claros, penetrantes. Vestia calça jeans, regata preta e com um colete vermelho e bege, e em sua cintura havia vários cintos, sendo que neles estava presos várias pokéballs.

Art by: MarckPF

Depois de um breve momento com um observando ao outro, foi possível ver um sorriso de canto no rosto do garoto, dando para ver uma covinha em sua bochecha esquerda, deixando-a sem graça. O olhar de Rick, de desgosto, foi para pura raiva, não gostando da proximidade nem dos olhares dos dois. Ele deu alguns passos e se colocou à frente da garota, puxando-a para trás, deixando-a com o rosto vermelho sem graça.

- Qual é seu nome? – perguntou o outro garoto.

- É... Ellie.

- Você... Me faz lembrar de alguém que conheci quando era pequeno.

- Deve ser coincidência. – disse desviando o olhar.

- Não, não me engano com essas coisas. Pode demorar um pouco, mas eu vou lembrar, pode apostar.

- Já acabaram com as apresentações? – disse Richard bravo.

- Está com ciúmes? Não entendo o porquê, já que vocês não são namorados... – e viu o olhar confuso dela – Em 1º lugar, você é linda demais para ficar com um traste desses, e em 2º, ele te trataria melhor ficando perto de você, ou pelo menos eu faria isso no lugar dele. – terminou provocando o outro ainda mais.


- Er, desculpe por interromper – disse Nixie – mas ele está me ajudando a controlar o Lapras enfurecido. – falou sem graça, apontando para o enorme Pokémon que bufava enfurecido, sendo que este tinha uma coloração arroxeada, diferente dos outros Lapras, que era azuis.

Art by: deedlitmon

- Me desculpe por essa pausa, mas esse Lapras não vai durar muito tempo em pé. – falou virando-se para o enorme Lapras – Electrivire, hora de acabar com isso, ThunderPunch.

Todos então viram seus olhares para o grande Pokémon amarelo de listras pretas, bípede, com antenas e 2 caudas pretas finas e longas. Era possível ver os olhos de Ellie brilhar ao admirar a criatura elétrica, que avançou contra o adversário, lhe dando um soco eletrizado, derrubando-o, mas não o nocauteando.

Art by: TrashinatorX

- Use Discharge.

A enorme onda elétrica atingiu o adversário com grande força, jogando-o para trás desmaiado. Sem perder tempo, o garoto jogou uma pokéball azul com riscas vermelhas, que com algumas vibrações, brilhou anunciando o sucesso da captura.

- Ah, muito obrigada, muito obrigada mesmo. – gritava Nixie. – Já que deu tanto trabalho controlá-lo, pode ficar com ele.

- Obrigado, é muita gentileza da sua parte.

- Você tem um Electivire! Eles são difíceis de treinar, mais ainda de chegar no estágio final. – falava a outra garota admirada.

- Gostou? Foi o primeiro Pokémon que capturei, um Elekid, e com muito treinamento se tornou essa fera. – brincou.

- Se eu gostei? Amo Pokémon tipo elétrico! – dizia aproximando-se o Pokémon junto de Pichu, que o observava surpresa.

- O que você está fazendo por aqui? A última vez eu te vi faz alguns anos, na nossa batalha, a que eu venci. – provocou Richard.

- Venceu, nós nem terminamos aquela batalha porque tive que fugir logo em seguida; aquela tampinha do orfanato me denunciou, e a polícia veio atrás de mim. – disse num tom alto. – Mas não se preocupe Ellie, não foi nada demais, só arte de criança. – disse olhando para ela, que retribuía atônica.

- Que seja, você abandonou e eu venci.

- Então que tal terminarmos essa batalha de uma vez? No tempo que estive fora, rodei o mundo, indo em todas as regiões possíveis e aprendi muita coisa, principalmente a respeitar meu pokémon. – provocou.

- Cale a boca logo e vamos numa batalha 2x2, sem trocas. – desafiou sacando uma pokéball.

- Sem problema. – falou andando para trás, dando espaço para um campo improvisado.

- Eu posso ser a juíza, sempre sou quando crianças batalham por aqui. – ofereceu Nixie.

Ellie sentava num tronco de árvore próximo a Richard, com Pichu e Lele ao seu lado, para assistirem o que prometia ser uma acirrada batalha.

- Vamos Dragonair.


- Lucario, hora da sua revanche.

Enquanto a serpente dragão aparecia em meio ao flash vermelho, Lucario parou bem em frente ao seu dono, num salgo magnífico, encarando sua adversária.

- Dragon Rage.

- Esquive e ExtremeSpeed.

Dragonair lançou então uma chama azulada de sua boca, mas acabava acertando a areia, fazendo uma trilha pelo campo; ele era incrivelmente ágil e veloz, esquivando-se e a atingindo com um forte golpe. Ela foi arrastada, mas ainda se manteve firme.

- Vamos arrastá-lo um pouco também, use Surf – ordenou Richard.

De uma forma bela, a serpente começou a balançar a cauda, mostrando os orbes que ali tinham brilharem. De repente, água começou a surgir de baixo de si, proveniente do mar, criando uma alta e forte onda.

- Tente quebrar a onda com Flash Cannon.

Mas foi em vão. A água cobriu e arrastou o Pokémon, só parado quando se chocou com uma pedra.

- Aproveite que ele está molhado e use Thunderbolt. – disse rápido.

Foi tudo tão rápido que a agilidade de Lucario não lhe foi útil, sendo atingido e sofrendo muito dano, mas ele ainda conseguiu se levantar, não estava disposto a perder tão fácil.

- Sabe, pequeno Richard, a melhor coisa de se voltar para Oblivia? – e viu que ele olhou confuso – É que aqui o sistema de batalhas é diferente, mais livre. – E sorriu – Pegue impulso com ExtremeSpeed e use Dragon Pulse!

- Como?! – surpreendeu-se – Tente acertá-lo com Thunderbolt novamente.

Com dificuldades, o Pokémon começou a correr na areia da praia, dificultando Dragonair, e num rápido movimento ele acertou um duplo golpe, jogando a para trás e lhe causando grandes danos. Os dois estavam cansados e ofegantes e o próximo movimento definiria o vencedor.

- Estamos por um ataque, então espere o momento certo e use Dragon Pulse.

- Corra e use Aura Sphere!

A concentração da dragão era impressionante. Ela só observava Lucario, que criou uma esfera de pura força interna, sua especialidade, e começou a correr em sua direção.

- Agora! – gritaram os dois.

Dragonair lançou uma poderosa esfera esmeralda que empurrou tudo em seu caminho, inclusive Lucario, porém este lançou a esfera, que pulsou na serpente, criando um grande impacto. Cada um foi arremessado para um lado diferente, caindo nocauteados.

- Dragonair e Lucario estão fora de combate, dando empate.

Os garotos recolheram seus Pokémon, encarando-se, mas Michael tomou a frente, liberando seu próximo Pokémon.

Ao identificar a criatura do adversário, Ellie entrou em estado de choque; visões e lembranças de um grande acidente lhe tomaram a mente, a deixando estática. Richard olhou do Pokémon para a garota, percebendo seu pavor; até Pichu estava assustada, pois a mesma subiu no ombro de sua dona e se escondeu atrás de suas costas cobrindo-se com o cabelo dela. Ele ficou preocupado, mas não entendeu tanto medo, pois não se tratava de nenhum Pokémon tão assustador: era um inseto com uma armadura metálica vermelha, se erguia sobre 2 patas e tinha 2 enormes garras que, erguidas, mais pareciam dois rostos encarando a tudo, 4 estreitas e finas asas saíam do alto de suas costas, de sua cabeça saiam 3 antenas pontudas e um olhar sinistro e ameaçador.

Art by: Hukuzo

- Ellie, está tudo bem? – perguntou, mas ela sequer moveu um músculo – Ellie?

- É u-um... – e, antes de terminar de falar, saiu correndo dali, entrando na mata.

- Ei, Ellie, espere! – e ameaçou correr, sendo chamado por Michael.

- Se você sair vou considerar desistência, e ganharei esta batalha. – e viu que o outro o encarou furioso – O que foi, ficou preocupado com a namoradinha? Ah é, me esqueci, você não é homem o bastante para isso.

Richard pensou em avançar e lutar ele mesmo com Michael, sentindo Lele puxar a barra de sua calça, chamando sua atenção.

- Eu vou ver o que ela tem, agora vai lá e termina isso logo!

- Se você vai com esse, então vou com o Flay. – falou irritado.


- Era exatamente o que eu queria.

- Flay, comece com Double Team.

- Já conheço essa sua jogada. Scizor, apenas aguarde.

Flay fez várias cópias de si mesmo, cercando seu adversário, mas o mesmo não fez nada, apenas se pôs a observar.

- Use Shadow Ball. – ordenou Richard.

- Acerte-o com Toxic.

Quando ele deu um passo a frente para lançar a esfera negra, Scizor desviou e veio rapidamente na direção dele, jogando uma densa e malcheirosa nuvem negra. Esta o envolveu, e quando Flay inalou a fumaça, sentiu-se tonto, fraquejando quase que imediatamente, mas tentando ficar firme, encarando-o furioso.

- Você sabe as vantagens de Oblivia não se impor as leis da Liga Pokémon, pequeno Richard? – perguntou presunçoso, vendo que ele o encarava raivoso – Aqui, não precisamos seguir as regras chatas que eles impõem, não precisamos usar somente 4 ataques de nossos Pokémon em uma batalha, nem carregar somente 6 deles, então porque não aproveita essa deixa e dá seu melhor?

- Grr, use Flamethrower!

O ataque foi realizado com sucesso, causando grande dano ao adversário, principalmente por causa da desvantagem, mas o adversário continuou imóvel após receber todo o dano, como se nada tivesse acontecido, encarando a todos com seu olhar sinistro.

- Use Sandstorm.

A praia, que estava ensolarada, de repente tornou-se tempestuosa, e uma enorme nuvem de areia começou a rodeá-los. Flay sentia a visão turva por causa do veneno, que parecia ficar cada vez mais forte, e a areia irritava seus olhos, dificultando ainda mais a visão.

- Use Metal Claw. – ordenou Michael.

- Double Team para escapar, depois use Shadow Ball!

Os 2 Pokémon fugiam e atacavam em sincronia: o Flareon, mesmo debilitado, desviava por pouco das garras brilhantes do feroz Scizor, lançando as esferas, que o adversário repelia com as mesmas garras que atacava incessantemente, destruindo as ilusões, até que conseguiu acertar seu oponente, lançando-o contra algumas pedras, “Droga, preciso mudar de estratégia...” pensou Richard vendo sua situação.

- Flay, Use Flamethrower mais uma vez!

- Desvie com X-Scizor, depois use Venoshock.

Ele lançou uma forte rajada de fogo, girando-a em várias direções por não estar enxergando direito, e estas acertavam seu adversário de raspão, mas era como se ele não sentisse dor, não sentisse nada, apenas avançando e atacando. O Scizor pulou alto, caindo com as garras cruzadas em X, e depois de acertar Flay com força, lançou das mesmas um material verde e gosmento, mas que pareceu afetar o Flareon grandemente.

- Se você soubesse de batalhas, entenderia que seu Flareon está gravemente envenenado. A tempestade de areia que o Sandstorm criou lhe causa ainda mais dano a cada momento que passa, e Venoshock causa dano dobrado aos Pokémon que estão envenenados. Eu pensei que você entendia de estratégias, mas não passa de um garotinho mimado. – esnobava Michael friamente.

- Se você quer jogar baixo, eu também jogo baixo... – e olhou para seu Pokémon, que assentiu – Double Team, e aguarde meu sinal.

- Ah, me poupe, cansei desse joguinho, use Metal Claw para achar o verdadeiro.

- Agora, use FireBlast!


Michael não escondeu a surpresa ao ouvir o poderoso ataque, vendo que cada uma das sombras lançava rajadas de fogo tão intensas que pareciam derreter a areia. Scizor ficara confuso com tudo, recebendo cara um dos ataques, descobrindo que eram ilusões assim como as de seu adversário, e quando menos percebeu, Flay juntou todas as suas forçar em um salto, lançando labaredas tão grandes que se dividiram em uma explosão, fazendo um cerco. O Pokémon inseto se viu cercado, ficando imóvel e recebendo o grande impacto do ataque. Nem sua couraça de metal pôde defendê-lo, sendo que foi gravemente ferido, mostrando isso ao fraquejar e apoiar-se em uma de suas garras, era a oportunidade perfeita.

- Flay, não perca a chance e use HyperBeam!

- Scizor, faça o mesmo!

Ambos carregaram raios poderosíssimos, e quando os ataques se chocaram, criaram uma explosão que empurrou a ambos pelo campo com sua onda de impacto. A areia que se levantou cessava, assim como a tempestade de pouco, mostrando Scizor, com uma dificuldade que não evidenciava antes, levantar e se apoiar em uma das garras, mas seu olhar continuava sombrio, mantendo-se firme. Já Flay não estava com a mesma sorte, pois o pouco que tentou se levantar não lhe foi suficiente, caindo no chão novamente, exausto, aos pés do garoto. Olhou triste para seu treinador, não tinha mais forças para continuar, o veneno lhe enfraquecia cada vez mais; ele estava derrotado.

- Flareon está fora de combate, Scizor vence, dando a vitória à Michael.

Ao ver seu treinador se aproximar, Scizor endireitou-se ereto, tornando a ficar imóvel. Sua armadura estava toda chamuscada, mas ele não evidenciava dor ou fraqueza, e isso surpreendeu Richard.

- Bom trabalho, Scizor, você é melhor do que me falaram.

- Eu... perdi? – sussurrou, ajoelhando e pegando seu Pokémon – E logo para você? Como?! Eu tinha a vantagem!

- Ao contrário de você, que sempre focou em ataque, aprimorei todos os meus Pokémon em defesa, por isso que Scizor, mesmo tendo dupla desvantagem ao seu Flareon, conseguiu resistir aos ataques de fogo. Você lutou bem, mas não deu seu melhor, parece ter mudado muito durante estes anos.

- Não preciso de lição de moral, muito menos sua! – retrucou bravo.

Ele levantou-se, encarando irado seu rival, mas antes que cometesse uma besteira, Lele aproximou-se as pressas, puxando-o e grunhindo preocupado. O garoto logo entendeu o recado, e sem dizer mais nada, correu rumo à floresta.

- Não pense que essa foi a última vez que nos vimos, eu voltei, e voltei para ficar! – gritou Michael, vendo que ele parou por um breve instante – E feliz aniversário, mané, sei que é hoje... – riu sarcástico, andando rumo à cidade.

“Idiota” pensou e logo começou a correr, procurando pela garota.

A tarde começou a chegar, e depois de um tempo procurando, a encontrou sentada em baixo de uma árvore, quieta, com uma pequena clareira a sua frente. Ele aproximou-se e sentou-se ao seu lado, colocando a mão sobre seu braço. Ela estremeceu, mas se manteve imóvel, tentando esconder o rosto molhado e vermelho.

- Ainda bem que você não ficou lá para ver... – falou tentando puxar assunto.

- O que aconteceu na batalha?

- Bom, eu... eu perdi.

- Perdeu? – falou levantando a cabeça surpresa, vendo o semblante decepcionado do garoto – Puxa, e-eu... sinto muito.

- Acho que aquele idiota realmente melhorou depois da última vez que eu o vi.

- Gostaria de ter ficado lá para te dar apoio, mas... – hesitou – E-eu não podia, não conseguia...

- Mas o que aconteceu? Você de repente entrou em choque, parecia ter visto um fantasma!

- E vi, em partes...

- E vai me contar o que foi que te assustou tanto? – perguntou, vendo que ela se encolhera, sem encará-lo diretamente – Por acaso foi aquele... Scizor?

Ao ouvir o nome, as terríveis lembranças lhe vieram à tona novamente. Richard a viu empalidecer, sendo que algumas lágrimas ainda lhe escorreram pelo rosto e sua respiração ficou ofegante. Ele ficou de frente para ela, vendo que parecia hipnotizada por algo, algo ruim.

- Ei, Ellie, calma, está tudo bem.

- P-por favor, não me faça lembrar outra vez...

- Lembrar o quê?! – e viu que ela não respondeu, tentando voltar ao normal – Tudo bem, se você não quer falar, não precisa, mas vou estar aqui quando quiser contar.

Um pouco temeroso, ele secou com cuidado seu rosto, vendo que ela o observava surpresa. Sem que ele esperasse, Ellie o abraçou fortemente, deixando-o sem reação.

– Obrigada por... estar sempre me ajudando...

*****

A noite chegou rapidamente. Lele ajudava a Flay, dando-lhe ervas contra o envenenamento, e Richard, buscando gravetos para a fogueira. Após uma breve refeição, ele juntou-se a garota, que permanecia séria e calada, escorada em uma árvore.

- Que correria para um primeiro dia fora de casa... – disse sentando-se.

- É... Você nem aproveitou seu aniversário.

- É, mais ou menos, acho que ele teria sido melhor se Michael não tivesse aparecido... Mas sabe, mesmo eu não ganhando nada, até ele me deu parabéns. – provocou, reclinando-se com as mãos atrás da cabeça.

Ela levantou o olhar e o observou, vendo que tinha um sorriso de canto no rosto e os olhos fechados. Dando um leve sorriso, aproximou-se, chamando a atenção do garoto.

- Isso é uma indireta?

- Se a carapuça servir... – brincou.

- Então antes tarde do que nunca.

Com delicadeza, Ellie puxou o rosto de Richard com as pontas dos dedos, dando um doce e suave beijo em sua bochecha, deixando-o corado e estático.

- Feliz aniversário, Rick. – sussurrou sem seu ouvido, afastando e indo se deitar em seu saco de dormir, que estava perto do fogo.

Ainda sem reação, ele levou uma das mãos até a bochecha, tocando-a suavemente, seu rosto estava muito vermelho, seu coração batia forte novamente, como no momento da dança. Suspirou, dando um discreto e singelo sorriso, pondo-se a observar a linda noite que estava, com o negro céu pintado por milhares de estrelas reluzentes e uma clara e delicada lua no céu, até ver Flay aproximando-se devagar.


- Sabe garoto – dizia calmamente – acho que esse foi o melhor aniversário que já tive.






Notas da Autora
Capítulo 9 | Capítulo 11

- Copyright © 2014 Aventuras em Oblivia - Zyky Flareon (Priscilla Zykah) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -